Publicado em 30/11/-0001 às 00:00:00 - Atualizado em 30/11/-0001 ás 00:00:00

 

GCMs participam de palestra para aprimorar atendimentos da Ronda Maria da Penha em Itaquaquecetuba

 

GCMs participam de palestra para aprimorar atendimentos da Ronda Maria da Penha em Itaquaquecetuba

 

Em parceria com a Defensoria Pública, a Prefeitura de Itaquaquecetuba (por meio da Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres) ofereceu um treinamento para os GCMs (Guarda Civil Municipal) entre segunda (17 de abril) e terça-feira (18 de abril). A capacitação teve como objetivo aprimorar o atendimento da Ronda Maria da Penha, abordando temas como masculinidade e violência doméstica.
Os assuntos foram discutidos na UNG (Universidade de Guarulhos - Campus Itaquá) pelos defensores públicos, Anderson Almeida Silva, Ana Rita Souza Prata e Yasmin Oliveira Mercadante Pestana, além do representante do Fórum Gênero e Masculinidades do Grande ABC, João Batista.
Na oportunidade, os palestrantes levantaram questões como machismo e o comportamento da sociedade nos dias de hoje, além da importância da Lei Maria da Penha e o combate à violência doméstica. Os participantes também receberam as cartilhas “Vamos falar sobre Masculinidade?” e “Homem: ser/ou não ser?” durante o debate. 
A secretária de Políticas para Mulheres, Joerly Nakashima, ressaltou que a Ronda Maria da Penha tem por finalidade a busca pelo fortalecimento das redes de prevenção à violência doméstica e o enfrentamento às violências que compõem a realidade do município, implementando a fiscalização e acompanhamento das medidas protetivas.   
Conduzido pelas Secretarias de Segurança e de Políticas para Mulheres, a Ronda Maria da Penha tem o seu trabalho desenvolvido atualmente por uma equipe composta por seis GCM’s (Guardas Civis Municipais), sendo três por plantão.
“É fundamental que todos os guardas recebam esse treinamento, levando em consideração que no dia a dia pode acontecer de precisarmos atender mais do que uma mulher em situação de violência no mesmo instante. Neste momento é importante que todos os GCMs estejam preparados para fazer esse trabalho e não só a equipe que atua diretamente no projeto da Ronda Maria da Penha”.