Publicado em 26/01/2017 às 06:36:14 - Atualizado em 26/01/2017 ás 06:36:14

 

Oficinas de Geração de Renda de Itaquá devem capacitar 2 mil pessoas este ano

 

Oficinas de Geração de Renda de Itaquá devem capacitar 2 mil pessoas este ano

A Prefeitura de Itaquaquecetuba, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e em parceria com o Fundo Social de Solidariedade
do município vem ampliando o número de vagas disponibilizadas gratuitamente para oficinas de geração de renda.  De acordo com o prefeito Dr. Mamoru Nakashima, o objetivo é que os projetos cada vez mais ofereçam oportunidades para jovens, adultos e pessoas da melhor idade.

Entre 2013 e 2015, a gestão municipal oferecia cerca de 1.200 vagas em oficinas profissionalizantes ao longo do ano. No ano passado esse número subiu para 2 mil vagas. “Esse projetos oferecem a possibilidade das pessoas se tornarem empreendedoras, fazendo com que elas gerem a própria renda ou até criem vagas de emprego para outras pessoas, e consequentemente contribuam com o crescimento econômico de Itaquá. É um trabalho muito importante, do qual estamos estruturando a cidade para ampliar”, frisou Dr. Mamoru.

A maior parte das capacitações atualmente acontece através do projeto “Casa Aberta para Juventude e Adultos” da Secretaria de Desenvolvimento Social, que conta com a parceria da Associação Espírita Kardecista de Itaquaquecetuba (AEKI). Na Casa Aberta (Avenida Ítalo Adami, 2480 – Rancho Grande) há oficinas nos três períodos – manhã, tarde e noite. A capacitação dura de dois a seis meses dependendo do curso. As oportunidades são para as áreas de manicure, depilação, cabeleireiro, maquiagem, corte e costura, panificação, pintura em tecido e pintura em tela.

Desde 2013 mais de 5 mil munícipes de Itaquá receberam das mãos do prefeito Dr. Mamoru Nakashima e da primeira dama e secretaria de Desenvolvimento Social, Joerly Nakashima, o canudo e certificado de conclusão e participação em um desses cursos profissionalizantes.

Pelo Fundo Social de Solidariedade são disponibilizadas para a população de baixa renda oficinas de geração de renda nas áreas de
corte e costura/modelagem, artesanato, pintura em tecido, depilação, designer de sobrancelhas e padaria artesanal. As aulas acontecem de segunda a sexta-feira, nos períodos da manhã e da tarde.

Divididos em seis polos, os cursos deste órgão acontecem no próprio Fundo Social (corte e costura), na Oficina Escola Karina Yamamoto (manicure, artesanato, corte e costura, depilação e designer de sobrancelha, pintura em tecido), no Bazar Solidário (manicure, artesanato, pintura em tecido), Centro de Referência da Assistência Social – CRAS – Caiuby (corte e costura) , no CRAS Recanto Mônica/Horto do Ipê (padaria artesanal) e na Igreja Cristo Centro do Pequeno Coraçã (manicure e pintura em tecido). Por ano, a média é de quase 600 alunos capacitados pelo Fundo Social.